E-book – Platão

A República – Clique Aqui

Críton (o dever) – Clique aqui

Apesar da sua brilhante defesa, Sócrates é condenado à morte. Na véspera da sua execução, o filósofo é visitado na cadeia por Críton, discípulo devotado, que lhe vem apresentar um plano seguro de evasão. Entre os dois amigos trava-se um diálogo dramático, o mais importante de todos aqueles em que, ao longo do 70 anos, Sócrates participou, porque nele se debate um problema de vida ou de morte.

Górgias (a retórica) - Clique aqui

O título deste Diálogo de Platão faz referência a Górgias, sofista grego (487-380 a.C.), Mestre de Tucídides, e que é um dos intervenientes. Nesta obra, a doutrina de Sócrates sobre a Retórica é confrontada com a dos sofistas.

Fédon (a imortalidade da alma) - Clique aqui

Não se conhece a época em que foi escrito; possivelmente depois do Banquete. O diálogo narrado passa-se na prisão, do qual participam Sócrates e seus discípulos fiéis, no dia em que o mestre teve de beber sicuta. O assunto é sobre a alma e a morte de Sócrates. O ‘Fédon’ é considerado a obra da maturidade do espírito de Platão.

Filebo (o prazer, a vida boa) – Clique aqui

No início do diálogo vemos Sócrates levantando a questão de que o saber, a inteligência, a memória e tudo o que lhes for aparentado, como a opinião certa e o raciocínio verdadeiro são melhores e de mais valor do que o prazer, em oposição à tese de Filebo que afirmava que para todos os seres animados o bem consiste no prazer e no deleite.

Teeteto (o conhecimento) – Clique aqui

O Teeteto (em grego, Θεαίτητος) é um diálogo platônico sobre a natureza do conhecimento. Nele aparece, talvez pela primeira vez explicitamente na Filosofia, o confronto entre verdade e relativismo.

O Sofista – Clique aqui

No ‘Sofista’, opõe-se aparência e realidade.

Parmênides (o uno e o múltiplo, as formas inteligíveis) – Clique aqui

Parménides narra um acontecimento provalvelmente fictício, mas não historicamente impossível – um debate que opõe o jovem Sócrates a Zenão e ao mestre deste, Parménides. A discussão desenrola-se em três conversas sucessivas – na primeira, entre Sócrates e Zenão, faz-se referência ao escrito deste último; nas duas conversas seguintes, entre Sócrates e Parménides, discutem-se, respectivamente, algumas das questões mais relevantes da orgânica das formas colocadas em todo o corpus platónico e por fim as consequências resultantes da hipótese parmenídea do uno. O diálogo termina na declaração da aporia. O Parménides é consensualmente tido como um diálogo do último período do platonismo e inaugura, por assim dizer, um conjunto de obras de reflexão crítica sobre a teoria das formas.

O Banquete (o amor, o belo) – Clique aqui

O Banquete’ é a celebração e o louvor de Eros. Platão, com dramatismo e suma habilidade literária, propõe nos diversos discursos (de Ágaton, Aristófanes, etc.) conceitos vários sobre o Amor que são negados ou superados na narração de Sócrates acerca de Diotima. Eros é o intermediário entre o humano e o divino; através de todas as formas do belo arrasta e impele para a Beleza supra-sensível.

Platão – Coleção Os Pensadores – O Banquete, Fédon, Sofista, Político – Clique Aqui

6 comentários em “E-book – Platão

  1. Diego Souza disse:

    Agradecemos vocês por disponibilizarem estes materiais riquíssimos, obrigado!

  2. Yuli disse:

    Olá,
    Estou procurando versões em inglês ou português de Lísis e Fedro, ambos de Platão, porém só os encontro em espanhol.
    Parabéns pelo site!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s